sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Palavra do Dia - 2


A palavra de hoje é...

VAMPIRO

Vampiros sugadores de sangue, entram pelas janelas depois das seis, quando o sol estiver se pondo. Quem disse que é preciso um convite para que eles entrem? Nada disso, eles podem fazer o que quiserem, podem ser quem bem entenderem. Disfarçam-se muito bem, mudando a cor de sus cabelos e o tom de suas peles. Transformam sua vozes em melodias, apropriadas de outros seres míticos, as sereias, que vampirizam além mar sentimentos de marujos desavisados.
Vampiros surgem em forma de rostos, corpos e interiores perfeitos, hipnóticos, que, sem que se note, vão exaurindo nossas forças e vontades. Transformam em necessidades o que antes era um mero desejo. Vampiros são vampiros de almas. Não precisam de um visual hollywoodiano, dentes pontudos ou capas pretas para assustarem a nós, simples mortais (e morremos). Eles precisam apenas revelarem-se como algo aterrador no fundo de seus seres, ocos, sem vida.
Chegam assim, de repente, com a intensidade de um furacão. Varrem tudo, destroem, arrasam. Deixam uma casca vazia para trás, clamando por mais, mais daquele sofrimento infligido, uma dor sádica, masoquista. Vampiros te arrancam tudo, te arrancam a cabeça, o fígado, o coração. Eles te tiram a moral, o respeito e o bom senso. Podemos até mesmo ser o vampiro de alguém. Vampiros literalmente acabam conosco. E no final, ah no final... a gente sempre pede por mais.

Imagem extraída do livro em quadrinhos O Vampiro que Ri, de Suehiro Maruo.

Um comentário:

pomba suicida disse...

Esse eu tenho! paguei R$ 15,00 no mercado púnlico. muito bom.

ShareThis