domingo, 13 de julho de 2008

Procrastinação

Essa palavra eu conheço muito bem, e vários de seus significados. Abaixo, um vídeo que explica muito bem o que eu quero dizer... A gente nem sente, mas sempre acaba fazendo essas coisas. O mais legal de tudo é que teve alguém com tempo suficiente para traduzir isso em uma lista e ainda por cima fazer uma animação. Uma bela animação.



6 comentários:

claudia cardoso disse...

O texto do MOA:
http://blog.moadesenhos.com.br/2007/06/11/processo-criativo/
Processo criativo

“…Já o meu processo criativo, se eu for tomar o dia de hoje como exemplo, é um pouco menos… ãhn… criativo, como poderão ver nas próximas linhas - exageros a parte. Antes de tudo faço uma conta rápida do número de ilustrações que preciso criar, leiautar e finalizar até o prazo final para entregar o serviço, calculo qual deve ser a minha performance para cumprir o combinado, respiro fundo e dou por iniciado o trabalho. Me inclino lentamente sobre a folha de papel branca e, após uma breve pausa, bato com intensidade moderada a cabeça na mesa umas cinco vezes, dizendo baixinho a cada golpe: MERDA! MERDA! MERDA! MERDA! MERDA! Feito isto me levanto, vou até a cozinha, abro a geladeira e como tudo que tiver dentro - lâmpada inclusive. Passo para o quarto, onde me deito de barriga pra cima, ajeito o travesseiro sobre o rosto e dou uma cochiladinha que, se não é muito prolongada, é repleta de pesadelos horríveis, com telefones que me perseguem repetindo a mesma frase em tons de voz ameaçadores enquanto os seus fios vão apertando o meu pescoço (o sem-fio fica só gargalhando em volta). A frase… é certo que todos a conhecem, não havendo desenhista no mundo que não tenha calafrios ao ouvi-la. Ela diz: “É PRA ONTEM, VIU?…IU…IU…IU… (efeitos de eco, no cinema, sempre dão bons resultados quando se quer encerrar uma cena de pesadelo). Acordo, assustado, com o telefone berrando na mesa de cabeceira. Atendo, rezando para que não seja nenhum dos clientes. Alívio. É a Mone que pergunta com sua voz doce e descansada: -Oi, Moa! Trabalhando? Respondo que sim enquanto derreto num caldeirão de culpa. Depois de conversarmos sobre algumas trivialidades deposito o fone no gancho e inicio o retorno até o estúdio. A cada passo, porém, o chão vai se transformando em uma matéria viscosa, pantanosa e borbulhante que acaba tornando a caminhada uma tarefa impossível de ser cumprida. Como se não bastasse, o aparelho de televisão emerge do brejo em que virou o assoalho e me intercepta, depositando o controle remoto na minha mão. Reajo e tento sair dali, mas um redemoinho em forma de sofá se abre atrás de mim e me suga sem dar chance de fuga. A TV liga e…OH, NÃO! BOB ESPONJA!! EU ADORO BOB ESPONJA! Desabo. Assisto toda a historinha fingindo submissa prostração enquanto espero os comerciais, minha única esperança de libertação. Até que vem a minha deixa: “BOB ESPONJA VOLTA JÁ! NÃO SAIA DAÍ!” Num movimento rápido e calculado digito o canal da TV Senado e escapo sem sofrer nenhum tipo de resistência da TV e do sofá, aturdidos com a presença da Heloisa Helena aos prantos na tela. Entro no estúdio, fecho a porta, pulo para a cadeira, apanho a lapiseira, leio o briefing da primeira ilustração decidido a só parar depois de rascunhar pelo menos até a metade do serviço. O primeiro é muito chato! Passo para o segundo que é chato e confuso… sem condições. O terceiro briefing parece que tem um mote tolerável. Começo a rabiscar e - estranho - a minha mão não parece ser a de um cara que só fez desenhar nos últimos 16 anos! Traços pesados e vacilantes vão deixando sulcos carregados de grafite no papel. Meu deus do céu, eu não sei mais desenhar! Eu não sei mais desenhar!!… Mais cabeçadas na mesa, BOSTA! BOSTA! BOSTA! QUERO UM EMPREGO NORMAL!! COM PATRÃO PRA XINGAR E HORÁRIO COMERCIAL PRA PODER CUMPRIR E DEPOIS BEBER COM OS AMIGOS NA HAPPY HOUR!!!!… Tento me acalmar passando a borracha mas só consigo deixar o papel cinza e borrado. Eu não sei mais apagar! Eu não sei mais apagar!… Preciso fazer alguma coisa antes que o pânico tome conta de tudo! … A LOUÇA!! Levanto e vou lavar a louça! Não vou conseguir trabalhar com a pia da cozinha naquele estado, justifico o novo abandono do posto.
Depois disso, um arrumadinha no quarto dos guris e uma reorganizada nos CD’s - ordem alfabética ou gênero musical?…
NOTA: como eu não faço a menor idéia de como acabar este negócio e já me sentindo meio deprimidão vou deixar este relato de lado para voltar ao trabalho.
Não sem antes fazer um lanchinho na cozinha, é evidente!
Tchau!
MOA (alguém aí tem prozac?)

maumau disse...

hahaha, muito boa!
é mais um retrato dos meus free-lances!

Felipe Duarte disse...

essa animação é foda demais... bom blog e bons desenhos.

falou

maumau disse...

valeu felipe, grande abraco!

Anônimo disse...

duca o video! e o texto do moa um retrato insano do que pode nos acontecer.

conheço essa palavra, procrastinação, há pouco tempo. dá um certo alívio saber que ela existe e que aquilo que praticamos não é a mais pura ENSEBAÇÃO, ENROLAÇÃO, PERDA DE TEMPO etc.

não, é procrastinação! difícil de dizer, tri fácil de praticar.

abs,
thiago esser

a. catani disse...

Como autêntico e incurável procrastinador, devo dizer que essa animação é simplesmente ESPETACULAR! Tão genial quanto o episódio "Procrastination" do Bob Esponja.

ShareThis